Atraso na fala: quando devemos, ou não, nos preocupar?

0

Uns falam pelos cotovelos quando ainda nem andam, outros já demoram mais a falar, deixando os pais assustados. É fato que cada criança tem um tempo específico para se desenvolver e com a fala não é diferente. No entanto, é muito importante estar atento aos comportamentos vocais do bebê para certificar-se de que o seu desenvolvimento está dentro da normalidade esperada.

Mas e se meu filho demorar a falar?

Partindo do princípio da comunicação, a primeira linguagem é o choro. Você, mamãe, certamente vai concordar que sabe o choro de fome, de sono, de dor etc. O desenrolar da fala de uma criança depende da associação de vários fatores. O filho da vizinha começou a falar antes dos dois anos? Não necessariamente o seu irá começar a falar com essa idade. E isso não é motivo para se preocupar ainda.

Segundo uma pesquisa da University of Western Australia, publicado na revista científica Pediatrics, crianças com atraso na fala aos 2 anos não apresentam riscos de ter problemas emocionais ou de comportamento mais tarde. O estudo acompanhou 1.400 crianças (que apresentaram demora pra falar), até a adolescência. Dessas, uma em cada dez tiveram atraso, mas isso não levou a nenhum problema. Segundo os cientistas, apesar de uma criança de 2 anos falar uma centena de palavras, há uma série de variações. 

Confira a escalinha

Dos 4 aos 6 meses, bebês emitem sons guturais (grrr);

Dos 6 aos 8, começam a balbuciar (baba, gugu, dada);

A partir dos 12 emitem palavras simples;

Entre 12 e 20 falam palavras simples e conhecem seus significados;

E a partir dos 24 já conhecem muitas palavras e formulam frases simples.

Como dito anteriormente, o atraso nem sempre é uma questão preocupante. Porém, levá-lo ao médico é fundamental para evitar um diagnóstico tardio. Certificar-se que está tudo bem é o ideal.

Autismo e problemas de audição são a grande preocupação

Dentre todas as preocupações pelo fato de uma criança apresentar atraso na fala, o autismo e a surdez são as maiores delas. Mas existem sinais que podem deixar a situação ainda mais clara para um problema maior. Isso ocorre quando, além de não falar, a criança não brinca, não olha nos olhos de forma persistente. Atualmente, todos os recém-nascidos têm sua audição examinada antes de deixar a maternidade, mas exames posteriores podem captar perdas de audição progressivas ou adquiridas.

Saídas para fugir do atraso na fala: estimule seu filho

Conversar, ensinar o nome dos alimentos e as partes do corpo, cantar durante o banho, ler livros e mostrar figuras e usar linguagem simples são, segundo a fonoaudióloga, as melhores formas de fugir do atraso na fala do seu filho.  Além disso, há outras formas de estímulo. Quando, por exemplo, ele apontar para um objeto, não o atenda prontamente. Incentive-o a pedir, a dizer o que deseja. Também é importante ser bons contadores de histórias e leitores para eles.

É claro que uma situação como essa requer os devidos cuidados. Porém, sua tranquilidade também soa importante. Pressionar sua criança não vai ajudar em nada. Tente estimulá-lo de forma carinhosa e atenciosa. No mais, procure auxílio médico para lhe orientar da melhor forma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here