Histerectomia é a melhor opção para prevenir o câncer de colo de útero

0

O nome do procedimento é complicado e não está na boca de muitas pessoas ainda. Mas a histerectomia é um uma cirurgia que tem se tornado cada vez mais comum como medida preventiva para amenizar avanços do câncer de colo de útero. Essa não é a única indicação pra ela. Existem outras recomendações mais simples ou complexas. Tudo depende da situação da paciente. Dividindo em grupos, existem as causas benignas e malignas. O Dr. Giancarlo Búrigo vai discorrer um pouco mais sobre elas.

Indicações para a Histerectomia

O Dr. Giancarlo afirma que esse procedimento é indicado para pacientes com as mais diversas patologias, como miomas, hemorragia uterinas sem melhoras com tratamento medicamentoso, Adenomiose, prolapso uterino (útero caído) e até câncer. Por isso a divisão entre benignos e malignos. Mas também há outros motivos individualizados em cada paciente. E isso, claro, deve ser entendido com o acompanhamento médico.

Há também uma subdivisão do próprio procedimento, que pode ser total ou subtotal. Segundo o especialista, ela é total quando se retira o corpo e o colo do útero e subtotal quando só o corpo do útero é retirado. Mas para além disso, a histerectomia pode ser associada à retirada dos ovários e trompas, correções de perda urinária e rotura de períneo após partos normais. O tipo de cirurgia a ser indicado e realizado vai depender da patologia, principalmente, e da historia clínica da paciente. E é exatamente sobre as três técnicas diferentes de histerectomia que iremos abordar agora.

Histerectomia via vaginal

É um dos métodos tradicionais e consiste numa incisão no interior da vagina. Esse método é normalmente utilizado para o tratamento do prolapso uterino-vaginal, mas é também uma saída no tratamento do câncer de colo uterino precoce. Segundo o Dr. Giancarlo, é uma técnica de histerectomia capaz de oferecer benefícios como um menor desconforto no pós-operatório, uma menor duração do internamento e da recuperação pós-operatória e a ausência de cicatriz visível.

Histerectomia abdominal

Esta é realizada através de uma incisão abdominal e pode incluir a remoção do útero e do seu colo.Mas também somente do corpo do útero, em alguns casos, e que pode estar associada à retirada dos ovários e trompas de Falópio. É tido como um procedimento um pouco mais invasivo, mas é também o mais comum. Por conta disso, esse tipo de histerectomia requer uma recuperação relativamente maior.

Histerectomia laparoscópica

Esse, certamente, você vai perceber que é um procedimento mais moderno. A histerectomia videolaparoscópica é a cirurgia realizada através de pequenos orifícios de 5 a 10 mm no abdômen. A retirada do útero totalmente ou parcial pode ser feita pela vagina ou através de um morcelamento. Como essa técnica envolve menos cortes e, consequentemente, menos manipulação de tecidos, serão sempre menores as chances de ocorrerem lesões graves nos órgãos próximos, como a bexiga por exemplo. Trata-se de um procedimento menos invasivo do que a histerectomia aberta e foi desenvolvido com o intuito de reduzir a dor, minimizar cicatrizes e diminuir o tempo de recuperação das pacientes, quando considerado em relação ao procedimento aberto. É ou não é mais moderno?!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here