Melasma tem maior incidência em mulheres, principalmente na gravidez

0

É muito comum se olhar no espelho e, vez ou outra, dar de cara com “intrusos”. Espinhas, vermelhidão e até mesmo manchas. O último, porém, com maior desagrado. Afinal, uma mancha na pele não é nada fácil de eliminar. E um dos grandes causadores desse mal, é o melasma. Já ouviu falar? É uma doença crônica que atinge muitas mulheres, inclusive, tem bastante ocorrência durante a gravidez. Saiba mais sobre ele agora.

Afinal, o que é o melasma?

Trata-se de uma doença crônica que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, muito comumente na face, atingindo também a região dos braços, pescoço e colo. Seu público mais afetado, como dito anteriormente, é o feminino, mas isso não impede que ele seja visto também nos homens. Não há uma causa definida para o melasma, mas muitas vezes ele está ligado ao uso de anticoncepcionais, à gravidez e, principalmente, à exposição solar. Além da predisposição genética, que também influencia no surgimento desta condição.

É comum os pacientes se queixarem que, apesar de terem utilizado filtro solar e chapéu durante o verão, observaram piora no problema. Em geral, isso ocorre pelo aquecimento da pele após exposição à altas temperaturas. Por isso, o mistério ainda continua sobre suas causas.

Você pode reconhecer o melasma

De frente para o espelho, você pode notar manchas escuras ou acastanhadas na face, principalmente nas maçãs do rosto, testa, nariz e lábio superior. Como dito acima, também há o melasma extrafacial, que pode ser caracterizado pelo surgimento das mesmas manchas escuras nos braços, pescoço e colo. Elas costumam ter formatos irregulares e bem definidos, sendo geralmente simétricas (iguais nos dois lados). Muitas vezes, as pessoas com melasma podem agravar a condição com um tratamento ou procedimento inadequado, ocorrendo piora importante das manchas.

Prevenindo-se ou tratando o melasma

Os tratamentos para o melasma variam, mas sempre compreendem orientações de proteção contra raios ultravioleta e à luz visível, que deve ser redobrados ao iniciar o tratamento. As terapias vão desde medicamentos tópicos a procedimentos para o clareamento. Dentre eles, os mais realizados são os peelings, aplicações de luzes ou lasers e o microagulhamento. É importante ressaltar que o tratamento do melasma sempre prevê um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte.

Mas você também pode se prevenir contra essa condição com algumas dicas:
– Use filtro solar todos os dias e lembre da reaplicação;
– Evite a exposição excessiva ao sol e ao calor;
– Resfrie a pele sempre que necessário: a aplicação da água termal é uma ótima alternativa;
– Utilize proteções físicas, como chapéu e guarda-sol;
– Aposte em comprimidos nutricosméticos, que ajudam a prevenir os efeitos danosos de radicais livres sobre as células da pele.

Não é só o melasma que carrega segredos em seu surgimento e formas de tratamento. Por isso, o mais importante é estar sempre em dias com os cuidados com sua pele, seu corpo e, claro, indispensavelmente sua saúde. Estar atenta às mais diversas condições é fundamental. Cuide mais de você.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here